11 de março de 2014

Detetive (Clue)




Desde criança fui fã de jogos de tabuleiros e não posso deixar de mencionar o clássico Detetive. É um dos meus favoritos e consegui criar uma técnica muito ninja pra jogar, já que sempre jogava com pessoas sete anos mais velhas que eu (ou até mais). Tive a versão clássica e também a versão com mais participantes que lançaram depois.
Com isso, fiquei intrigadíssima com o filme baseado no jogo. O elenco era promissor, Tim Curry e, principalmente, Christopher Lloyd. A personagem de Tim Curry é original e não contém no jogo, ele é o mordomo que, praticamente, narra a história. Mas aparece o Sr. Pessoa antes de sua morte e outros personagens secundários para adicionar mais mortes à história. Temos a empregada, a cozinheira, o cara que pediu pra usar o telefone, o guarda. Todos eles só servem para nos divertir com as cenas engraçadíssimas ao longo do filme, mas a história continua se concentrando em quem matou Sr. Pessoa.
O mordomo declara a todos que são chantageados pelo Sr. Pessoa e ele, por sua vez, sugere que alguém mate o mordomo com as armas que ele dá, aleatoriamente, para os convidados, mas, ao apagar a luz, é ele que aparece morto. Essa parte é genial porque funciona como no jogo, todos estão na sala com todas as armas disponíveis, só o lugar que não pode ser alterado.
Em compensação, há as passagens secretas da cozinha pra sala de estar, por exemplo, que achei sensacional! Um quê do jogo que conseguiram colocar no filme. Não explora muito as personagens/suspeitos, mas não deixaram sem sentido, conseguiram dar motivo para todos quererem matar o Sr. Pessoa.
Embora a personagem do Tim Curry não exista no jogo, é engraçadíssimo e se torna essencial ao filme. Talvez seja pelo brilhantismo do Curry, mas acho que era necessário uma espécie de narrador mesmo. É ele que conduz a história e ele que ‘desvenda’ o final.
O final é outro espetáculo, não vou dar spoiler, mas o filme em si dá três possibilidades de final, todos condizentes e muito bem criados.
Sobretudo, o filme é uma comédia e é isso que o deixa tão sensacional. Quem não ri quando joga Detetive? Assistir ao filme também dá a mesma sensação. “Você estava com a corda!”, “não, mas pegaram de mim”. Ao final, tem a famosa frase que todo mundo deve dizer ao jogar “Fui eu, com o revolver, na sala de estar”. É simplesmente sensacional.
O filme é um presente pra todo amante do jogo e dá uma vontade enorme de voltar a jogar. Só sei que irei, o mais rápido possível, reunir meus amigos pra jogar e relembrar uma ótima época da minha infância.

That's all xx

Nenhum comentário:

Postar um comentário