23 de janeiro de 2014

Tag: Sentimento Literário

Ah, a preguiça... 
Há muito tempo vi a tag no blog Faltou Açúcar (link aqui) e decidi que ia fazer. A preguiça de pensar nos livros para esta tag e, principalmente, de publicar no blog me fizeram aparecer aqui só agora. Vamos lá, o propósito da tag é escolher nove livros dentre os que você já leu de acordo com nove específicos sentimentos. Para os amantes de literatura, é terrivelmente difícil escolher um livro que demonstre uma emoção apenas ou uma emoção para apenas um livro. Tentei e o resultado é este:

Alegria: Harry Potter
Minha definição de alegria, aqui, será um pouco mais filosófica. Foram com esses livros da J.K. Rowling que comecei a ler e, consequentemente, me tornei quem sou (faço letras, né). A alegria então é de ter conhecido estes livros na infância, de ter me apaixonado pelos livros em geral e de saber que não fui a única a ser conquistada pelo universo literário através dessa série.
Tristeza: Marley e Eu
Confesso que o primeiro livro que me vem à cabeça é A Menina que Roubava Livros, mas como estou me baseando na Tag da Carla (dona do Faltou Açúcar), não queria repetir os mesmos livros. Portanto, o segundo livro que vem instantaneamente na minha cabeça é este livro do John Grogan. O livro, além de ser baseado em fatos reais, me dá um aperto no coração por eu ter uma labradora linda que em março completa 10 anos (!!!) Na época que li, ela ainda estava novinha e sem problemas, mas hoje ela tá cheia de complicações e indo constantemente ao veterinário, o que me faz lembrar desse livro. Lindo, porém triste.

Lila no natal de 2011 (acho)
Angústia: Jogos Vorazes
Tem alguns livros/filmes que são tão conhecidos que você nem considera spoiler, mas mesmo assim faço uma ressalva aqui porque as duas próximas linhas serão sobre o final desse livro da Suzanne Collins. Quando li, não conhecia a série ainda e não sabia que a continuação era com os mesmos personagens, ou seja, eu jurava que um dos dois ia morrer. Imagina minha agonia? 'Peeta vai morrer, claro, Katniss é a protagonista; Katniss é a mais forte, ela vai sobreviver; Peeta a ama, ele vai se matar' e por aí vai. Se isso não for angústia, alguém me diz o que isso significa.
Apego: Emma
Meu amor pela Jane Austen é gigantesco e sempre considerei Emma minha personagem favorita, embora muitos a consideram mimada, intrometida e outros insultos mais pesados que não citarei aqui. Eu a entendo. Não cabe a este post uma justificativa e/ou estudo sobre isso, mas acredito que apego descreva bem o que sinto por Emma e, consequentemente, por Austen.
A foto é a do instagram por motivos de preguiça
Nostalgia: Agora estou sozinha...
Em 2011, fui à Bienal do Livro e tive o prazer de encontrar Pedro Bandeira. Não sabia que ele estaria lá naquele dia e comprei às pressas o meu livro favorito dele para autografar. Li muito Pedro Bandeira na minha infância e este, mesmo não sendo o mais conhecido dele, é o que mais me tocou. Adorei o autógrafo dele, super original e, com certeza, de alto valor pra mim.


Raiva: 50 Tons do Sr. Darcy
Gastar dinheiro à toa num livro = raiva. Pensei que fosse uma versão picante de Orgulho e Preconceito. Só vou avisar que não é. 
Indiferença: Rei Lear
Só escolhi esse livro por ser o único do Shakespeare que li. E bom, não sabia o que colocar nesse sentimento, mas indiferença não expressa com precisão o que sinto. A verdade é que não conheço muito as obras de Shakespeare, conheço por nome e pelas diversas adaptações por aí, mas não peguei a fundo para ler e conhecer. Este desinteresse até então chamo de indiferença por não ter outro livro pra colocar aqui.
Compaixão: O Diário de Anne Frank
Tenho que tomar cuidado com o que vou escrever aqui para não ganhar haters. Ninguém pode discordar: o livro não é bem escrito. E pudera, não era pra ser. Uma criança desabafando em seu diário está, e sempre estará, longe de ser um livro digno de altos prêmios e coisas do tipo. Ok. Entretanto, isso não tira a magnitude do livro. Talvez a inocência de Anne seja o ponto principal, digo talvez porque, pra mim, o mais relevante desse livro é seu contexto. E é por isso que encaixo nesse sentimento.
Reflexão: Não me abandone jamais
O livro do Kazuo Ishiguro me traz este sentimento por, como quase toda utopia, ser uma crítica fortíssima a nossa sociedade. Poderia citar vários aqui, mas este em especial me conquistou pelas personagens, porque, ao contrário dos tantos outros livros do gênero, este não retrata uma revolução, mas sim as reflexões que cada um tem dentro do novo mundo. Precisaria, claro, de mais espaço para explicar mais, mas fica a dica de uma ótima leitura (e de filme também, com um elenco belíssimo).

Espero que minha lista encoraje alguém a ler algum desses nove livros ou de fazer esta mesma Tag.
That's all xx

3 comentários:

  1. Sua lista reflete muito bem nossa baixa compatibilidade no Skoob. Espero um dia te alcançar na quantidade de livros lidos. Parabéns por ter terminado de responder a tag haha. Não li Marley mas o filme já me fez sentir a tristeza, também concordo com sua raiva, angústia e alegria :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem tanta coisa fora do padrão, vai! Tentei não deixar igual o seu, sei lá xD
      Faça mais tags pra eu copiar haha

      Excluir
  2. Também amo Harry Potter ♥
    Visita meu blog?
    http://espacoteencomanaliasantos.blogspot.com.br/
    Ficarei muito feliz ♥

    ResponderExcluir