1 de outubro de 2013

Dexter: oito temporadas e o fim





Acabou. Após oito temporadas, a série chega ao fim. Meu ódio pela series finale é tamanha que não consigo, mesmo após uma semana, fazer o balanço geral se a série foi boa ou não. Vou tentar agora.
Comecei a série por indicação de um amigo e vi três temporadas de uma vez. Não conseguia parar, a primeira temporada foi arrebatadora e The Ice Truck Killer foi um dos melhores vilões da série, lembro da minha angústia ao assistir os episódios finais que o ITK tá com a Debra e ela não sabe quem ele realmente é.
Ai vem a segunda temporada com o Bay Harbor Butcher e o Doakes. A paranoia e o excesso de palavrão do Doakes eram marcantes. Ele chegou tão perto de desmarcarar os assassinatos do Dexter! Nessa temporada também teve a Lila, odiava, mas ela serviu para algum propósito no final das contas, já que foi ela que matou Doakes. Dexter ainda estava fantástica.
A terceira temporada era a pior de todos esses anos, mas ainda não consegui colocar na balança o último episódio, então não sei se ainda vou permanecer com essa ideia. Contudo, é fato que Miguel é o pior personagem de todas as temporadas! CARA CHATO! Ele ficava na cola do Dexter, chamava ele de amigo e aparecia em todos os lugares com aquela cara de ‘quero ser seu amigo’. Eu nem lembro do real vilão dessa temporada porque meu ódio pelo Miguel era tamanha que é a única coisa que guardei na memória.


Mesmo a terceira temporada ter sido, na minha opinião, uma merda, a série não decaiu já que a quarta temporada é considerada por muitos a melhor. ITK está junto com Trinity no patamar de melhores vilões da série, sem dúvida alguma. Nessa temporada vemos como a Debra é azarada pra se relacionar, já que ela começou a namorar o ITK aka irmão do Dexter e agora namorou com o velho Lundy e ele foi morto. Aí Dexter seu ápice no final desta temporada, com Harrison numa poça de sangue da mãe no banheiro da casa, assim como Dexter foi achado por Harry quando era criança. Trinity tinha matado a Rita e meu deus, todo mundo entrou em extasy com esse final! 


Na quinta temporada, tem Quinn na cola do Dexter e realmente pensei que ele ia ser igual o Doakes e que ia morrer no final da temporada. Fiquei super feliz por não ter sido assim. É nessa temporada que aparece a Lumen e eu adorei ela. Achei pertinente eles não ficarem juntos ao final porque ela só queria vingança, não era uma serial killer, embora aceitasse o Dexter.
LaGuerta como tenente foi um pé no saco. Odiei a personagem desde o começo e não via muita graça na ‘rixa’ entre ela e a Debra. Nessa sexta temporada tem outro personagem chato, Louis, que começa a namorar a irmã do Angel –outra que não me importo. Não gostei da sexta temporada porque o Doomsday Killers foi um saco! Toda aquela coisa religiosa e book of revelation foi muito cansativo e não via a hora dessa temporada acabar.
O mesmo sentimento continuou na sétima temporada, com a LaGuerta virou um Doakes 2, mas muito mais sem graça, o vilão ucraniano patético, Quinn com putas e problemas com alcool, uma bosta. É nessa temporada que aparece Hannah McKay, a puta das flores, que envenenava quem lhe causava problemas. Embora essa temporada tenha sido horrível, o final foi chocante: Debra mata Laguerta. Já não via a hora dela morrer, mas o jeito que aconteceu tudo, nossa, a season finale só não foi melhor que a do Trinity.


Aí vem, então, a última temporada. Os dois primeiros episódios me deixaram com muita esperança: o aparecimento da Vogel foi surpreendente. Alguém que ajudou o Harry a criar o código e que quer ajuda com um serial killer que está na sua cola. Achei o plot promissor, ainda mais com toda a reconciliação da Debra, realmente fiquei esperançosa. Mas aí reaparece a puta das flores. MEU DEUS. QUE ÓDIO!
Acredito fortemente que ela é a razão para a série ter desandado. Como dizia Vogel, serial killer não pode se apaixonar nem coexistir as duas vidas. Ele ficou todo in the name of love e deixou de ser quem era. Ridículo! Até a história do filho da Vogel tava até ok, ele aparecendo no apto e na delegacia, ainda estava achando bom, mas muito esperançosa no final ser melhor. Realmente esperava que a Deb matasse o Dexter (e a Hannah), mas não, NÃO!
Aquele episódio final foi ridículo, não consigo achar outra palavra pra expressar meu ódio, MESMO! Matar a Deb foi a coisa mais egoísta que ele fez em toda a série, não conseguiu viver com o fato de ter deixado ela daquele jeito e decide desligar os fios, PUTA QUE PARIU! Aí ele sai com um corpo enrolado num lençol branco no meio de um furacão e vai pro barco que ele deixou estacionado DO LADO do hospital. E ele faz tudo isso sem preocupação nenhuma! Super real.
E aí ele a joga no mar como se fosse qualquer pessoa que ele mata, impossibilitando as pessoas que a amavam de fazer um funeral e não tem nem a coragem de se matar. Claro, além de ser impossível ele ter saído vivo do furacão, os roteiristas querem que a gente acredite que o Dexter vai passar o resto da vida com remorso por ter matado a irmã, por ter abandonado o filho com uma puta das flores que nem código tem e não vai mais matar. Pelo amor de Deus!
Sem falar na minha maior indignação: o furacão! Nunca choveu naquela série, Masuka e Angel se vestem como se estivessem no Hawai e aí no episódio final vem um furacão! Me poupe, né! Falando neles, que consideração eles tiveram com os personagens secundários? Brotaram uma filha pro Masuka e ficou por isso mesmo, o Angel foi negligenciado a série inteira e o Quinn, nem se fala do Quinn, agora que ele ia ser feliz com a Deb, acontece essa tragédia!
Além de tudo isso, tem muito furo nesse último episódio. A Hannah não matou o detetive e ele ainda ia procurá-la e ninguém ia se importar com o que houve com o Harrison? O Quinn amava tanto a Deb e ia se contentar que seu sumiço? É claro que eles iam procurar.
E, de novo, pra mim, tudo isso porque ele descobriu que não queria mais matar porque amava a Hannah.
Sempre imaginei o final de Dexter com todo mundo descobrindo sua real face, seu dark passenger e ter o dilema que a Deb teve, agir conforme a lei ou encobrir pelo afeto que tem por ele. Mas não, Dexter “morreu” como um santo, impune!
Ridículo!

A única coisa que consigo dizer é que a Debra é uma puta personagem. A única, creio, que cresceu na série. Ela não só ascende no trabalho, mas seus dilemas são pertinentes. Seu medo de ser algo que seu pai nunca foi, medo de não ter mais com quem se espelhar e a busca incessante de ser uma excelente profissional. Suas escolhas na série não foram fáceis. E é assim que eu termino: R.I.P Debra Morgan, a melhor personagem dessa série inteira.

That’s all xx

Nenhum comentário:

Postar um comentário