13 de agosto de 2013

Resident Evil: Revelations



 
Para a minha felicidade, lançaram RE: Relevations para Xbox 360, porque antes só havia pro Nintendo 3DS, motivo que fazia eu querer desesperadamente este console. Nunca tive consoles portáteis porque é pequeno e por ser individualista. Ainda bem que não comprei, porque a Capcom decidiu tornar esse spin off na história principal kind of.
A história é anterior ao RE 6 e é com a Jill e o Chris, além de trocentos personagens secundários sem importância que só fazem a gente passar raiva. Começa com Jill e seu mais novo parceiro, Parker, procurando Chris e sua parceira aka puta, Jessica, em um navio, Queen Zenobia. Parker tem um sotaque engraçado e toda vez que ele chamava Jill, meu irmão o imitava.
Logo no começo mostra Terragrigia, uma cidade totalmente sustentada por energia renovável. A ideia é genial com uma história muito ‘plausível’, para mim, mas não aproveitaram a ideia para, por exemplo, explorar Terragrigia, já que a história se passa com ela submersa devido a um grupo terrorista que infectou todo mundo. Seria muito interessante observar uma cidade inteira nova. Mas não, ficamos presos em um navio.

A gente descobre que Chris não está no navio e que foi uma armação para pegar Jill e Parker, então a história se inverte e Chris começa a procurar por Jill. Pra ser sincera, os capítulos de Chris são os piores porque era obrigada a aguentar a Jessica falando. Jessica é uma puta de parceira que fica dando em cima do Chris e dando indiretas. “So, Jill was your partner” e “Did you trust me like you trusted Jill?” Affê! Fora isso, a roupa dela. MEU DEUS, SACA SÓ NA ROUPA!

Muitas vezes aparecem flashback de Parker em Terragrigia com Jessica, que era sua parceira na época e ela me irritava também. Ai, que ódio dela!
Muita coisa me irritou nesse jogo. Embora seja dividido em capítulos como outros RE, este faz um previously em todo início. É parecido com Alan Wake, só que aquele tinha capítulos grandes, ao contrário deste. Outra coisa que me irritou foi o gênesis, que serve pra escanear o cenário e pegar itens e afins. O problema é que tem que fazer isso durante o jogo inteiro, em todas as telas, em todos os lugares. É chato pra caramba! Devido a minha falta de paciência, acabei perdendo muito item por causa disso.

 
Em contrapartida, o grande ponto positivo desde jogo é por ser mais parecido com os velhos (1,2 e 3) do que o 6. Quando digo parecido, me refiro à tensão ao jogar e os cenários escuros. Odiava passar no banheiro (logo no começo do jogo). Senti falta dos zumbis tradicionais, mas né, faz tempo que não tem esse tipo de zumbi em RE.

SPOILER:
Teve uma cena que me deixou muito agoniada. Chris tá no navio com Jéssica a procura de Jill e Parker e nós sabemos que os dois estão prestes a morrer afogado e que Chris tá prestes a salvá-los, mas aí a gente percebe que Chris tá no navio errado, no Navio Semiramis!!!! Suspense digno de filme, fala sério! Depois a Jill consegue achar um jeito para escapar obviamente  e tudo fica bem, ufa!
O jogo é bom, não acho que decepciona a franquia, mas é visivelmente inferior ao 6. Realmente tô feliz por ter finalmente jogado (e sem precisar comprar um 3DS)
 
That’s all xx

Nenhum comentário:

Postar um comentário