17 de agosto de 2013

Machado de Assis




Finalmente chegou a hora de estudar por um semestre inteiro Machado de Assis. Estava preocupada com o professor porque queria ter uma aula muito boa e felizmente consegui um professor excelente. Ele trabalhará com quatro obras do Machado, fora contos, crônicas e outros textos que ele escreveu ao longo de sua vida. As quatro obras serão: Ressurreição, Memorial de Aires, Memórias Póstumas de Brás Cubas e Esaú e Jacó. Li os dois últimos, este dois anos atrás para outra matéria da faculdade e aquele para o vestibular há muito mais tempo! 



Embora eu preferisse ter as edições iguais e alinhadas, não deu, já que tinha dois em casa e os outros comprei em sebo (aka amor), mas eu gostei muito das edições, com exceção da do Memorial de Aires por causa dessa casa de pintura/cenário/paisagem/cena do livro. É o único fator que reclamo do livro porque ele é único dos quatro que é capa dura e que tá com aquele cheio de livro velho que toda amante de leitura gosta ou não.

Achei curioso o fato das outras três capas terem um retrato do Machado de Assis, adoro as edições de bolso da Saraiva, mas a que mais gostei foi a da L&PM pocket, com esse retrato meio pintura.


Detalhe para o verso da capa dessa edição do Brás Cubas, da época que meu irmão prestou o vestibular. Todos os livros que estavam na lista da FUVEST e da Cásper Líbero estão ‘catalogados’ dessa forma. 

 
Gostei das escolhas das obras e vou aproveitar essa vibe machadiana para deixar um quote de Esaú e Jacó que reservei na época que li.


“Há frases assim felizes. Nascem modestamente, como a gente pobre; quando menos esperam, estão governando o mundo, à semelhança das ideias. As próprias ideias nem sempre conservam o nome do pai; muitas aparecem órfãs, nascida do nada e de ninguém. Cada um pega delas, verte-as como pode, e vai levá-las à feira, onde todas as têm por sua.”


That’s all xx

Nenhum comentário:

Postar um comentário